Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

DEIXAR DE CONSUMIR PAPEL POR UM DIA SALVARIA 11 MILHÕES DE ÁRVORES

Mäyjo, 31.10.15

Deixar de consumir papel por um dia salvaria 11 milhões de árvores

É bastante fácil salvar 11 milhões de árvores em todo o mundo, explica um relatório da AIIM: basta pedir a todos os cidadãos do globo para deixarem de consumir papel durante um único dia.

Os números desta hipotética e banal acção são impressionantes, mas o estudo Paper Wars 2014, disponibilizado este mês pela AIIM – The Global Community of Information Professionals, coloca em cima da mesa este e outros detalhes específicos da indústria do papel.

De acordo com o estudo, uma em cada cinco organizações – 21% – assumem que têm aumentado o seu consumo de papel. Por outro lado, cerca de 10 litros de água são necessários para fazer uma única folha de papel A4 – algo inacreditável quando a água é o recurso mais procurado e escasso do mundo.

O relatório alerta ainda que reciclar uma tonelada de papel poupa cerca de 2.500 litros de petróleo, 26.500 litros de água e 17 árvores, mas 50% dos resíduos criados por um negócio ainda são maioritariamente papéis.

Finalmente, dois últimos dados bastante curiosos. Diz o estudo que uma edição de domingo do The New York Times é suficiente para abater 75 mil árvores, e que cada árvore produz oxigénio suficiente para que três pessoas possam respirar.

“É surpreendente que, num mundo cada vez mais digital, o papel ainda domine o ambiente do escritório”, explica o agregador de sustentabilidade Edie. De acordo com o site, quase quatro mil milhões de árvores são cortadas, todos os anos, para fornecer 300 milhões de toneladas de papel para os negócios e famílias.

“Se o mundo inteiro deixasse de utilizar papel por um único dia, poderíamos poupar cerca de 821.918 toneladas de papel, o equivalente a 11 milhões de belas árvores. E é isso que queremos fazer, que o mundo deixe de utilizar papel durante 24 horas”, explicou Doug Miles, director de market intelligence da AIIM.

Fique com 6 dicas para reduzir o consumo de papel.

Foto: Brad Greenlee / Creative Commons

A EMPRESA DE EMBALAGENS QUE UTILIZA 74% DE MATÉRIAS-PRIMAS RECICLADAS

Mäyjo, 04.09.15

Smurfit-Kappa_SAPO

“A sustentabilidade é uma vantagem competitiva para o nosso negócio”. A frase pode parecer batida, como diz a música do Sérgio Godinho, mas poucas empresas se podem gabar de ter esta realidade dentro de portas.

A frase também faz parte do relatório de sustentabilidade de 2014 da Smurfit kappa, fabricante de embalagens de origem irlandesa que emprega 43.000 pessoas em 33 países e teve vendas de €8,1 mil milhões no ano passado.

Segundo o relatório, a empresa garante que o papel é reciclado até ao seu limite – entre oito a 10 vezes antes de se desintegrar. Antes disso, ele é utilizado de formas inovadoras. “Ao reduzir o nosso impacto no ambiente, das matérias-primas que usamos e através do nosso design optimista há cada vez mais embalagens sustentáveis [no mercado] e os nossos clientes podem fazer uma escolha mais positiva quando têm a Smurfit Kappa como fornecedor”, continua a empresa.

Segundo a empresa, todo o seu negócio foi reformulado à volta do modelo da economia circular, o que possibilitou a redução do custo dos materiais, aumento da resiliência dos recursos e redução das emissões de CO2.

No ano passado, as matérias-primas recicladas foram responsáveis por 74% do papel da empresa. Quando o papel já não pode ser reciclado, ele é incinerado para gerar energia ou utilizado na agricultura.

Por outro lado, avança o Edie, quase um terço das fábricas da empresa não enviaram resíduos para as lixeiras, em 2014, enquanto uma delas, em Roermond, Holanda, identificou utilidade para 99,5% de todos os seus resíduos.

Finalmente, a empresa também abraçou o conceito de logística revertida, através de um esquema simples com um fabricante de gelados francês. Assim, os velhos cartões são recolhidos quando chegam as novas encomendas – estes papéis e cartões regressam depois à Smurfit Kappa para serem reciclados e reutilizados.

Todas as medidas desenvolvidas pela Smurfit Kappa nos últimos anos levaram a empresa a reduzir as emissões por tonelada de papel produzido em 21% desde 2005. O total de água gasto também decresceu 3% entre 2013 e 2014.

Este artigo faz parte de um trabalho especial sobre Resíduos, publicado durante o mês de Junho e promovido pela Sociedade Ponto Verde.

Reino Unido quer eliminar a documentos em papel para reduzir o desperdício

Mäyjo, 16.09.13

Reino Unido quer eliminar a documentos em papel para reduzir o desperdício

O think thank Policy Exchange afirmou, num relatório, que o governo britânico está a desperdiçar milhares de milhões de libras ao trabalhar com documentação em papel nos seus serviços públicos. No artigo pode ler-se que, de modo a “transportar o governo para a era digital”, todas as suas actividades devem ser digitalizadas, eliminando-se o uso do papel.

O relatório destaca os resíduos envolvidos em operações como o Crown Prosecution Service, que imprime um milhão de folhas diariamente, e outras agências que imprimem formulários que poderiam ser totalmente digitalizados. Adoptar esta recomendação poderia levar a uma poupança de €83 mil milhões (R$ 250 mil milhões) até 2020.

Uma total transformação do governo para as tecnologias digitais também permitiria pôr fim ao fosso de produtividade entre os sectores público e privado, acrescenta o relatório. Segundo oEdie, o ministro do Cabinet Office, Francis Maude, diz que o relatório reconhece o “potencial extraordinário” desta alternativa.

“Estimamos que a mudança das transacções do governo para canais digitais possa economizar €1,4 mil milhões (R$ 4,3 mil milhões) até 2015. Isso proporcionará um melhor valor para as famílias trabalhadoras e melhores serviços públicos criados em torno das necessidades dos utilizadores. No futuro, todos os serviços do governo serão mais rápidos, práticos, ágeis e digitais”, disse Maude.

O director da Policy Exchange e autor do relatório, Chris Yiu, defende que “a mudança para o digital em tudo o que o governo faz geraria uma poupança de milhares de milhões de libras que poderiam ser usadas para reduzir o défice ou melhorar os serviços públicos”.

Uma pesquisa encomendada pela Two Sides, iniciativa que visa promover a produção e o uso responsável de impressões e papel por empresas da cadeia de fornecimento de comunicações gráficas, descobriu que 54% das empresas concorda que os registos em papel são mais sustentáveis e 68% entende que as impressões “são baseadas num recurso renovável”.

 

in: Green Savers